Um daqueles poemas de “servir o chapéu”

Apenas gostaria de registrar uns versos de Mario Quintana, que facilmente fazem “servir o chapéu” aos leitores. A felicidade pode estar mais perto do que nós pensamos!

DA FELICIDADE

Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura,
Tendo-os na ponta do nariz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *